sábado, 11 de outubro de 2014

Pão de centeio com pecãs e cranberries

Eu amoooo pão de centeio! Adoro o sabor, e acho que combina muito com nozes, frutas secas e chocolate. Por isso, ao folhear a bíblia da titia Martha, achei que seria um ótimo projeto para o final de semana. Melhor ainda porque rende 2 pães, e assim você pode congelar um deles para comer em outro momento, ou mesmo dar de presente para alguém especial... 



Pão de centeio com pecãs e cranberries
rende 2 pães

-      1 xícara de pecãs
-      1 1/4 xícara de água morna (43°C), mais um pouco se necessário
-      2 1/4 colher de chá de fermento biológico seco instantâneo para pão (7 g)
-      2 xícaras de farinha de trigo, aproximadamente (de preferência orgânica, ou farinha para pão, que eu nunca achei em BH)
-      1 xícara de farinha de centeio (preferencialmente orgânica)
-      2 1/2 colheres de chá de sal
-      1 colher de sopa de açúcar
-      3/4 xícara de cranberries secas, grosseiramente picadas
-      1 ovo grande, orgânico ou caipira
-      sal rosa do himalaia moído para polvilhar (ou flor de sal, ou sal maldon, ou até sal grosso moído)
-      azeite ou outro óleo vegetal para untar

Preaqueça o forno a 180°. Espalhe as pecãs em uma única camada em uma assadeira, e leve para tostar ligeiramente, até que fiquem bem perfumadas. Isso leva cerca de 10 minutos, mas como cada forno varia muito, fique de olho, para que não queimem. Deixe esfriar completamente e pique grosseiramente (pedaços grandes). Enquanto isso, forre uma assadeira grande (onde caibam 2 pães) com papel manteiga e unte. Reserve.

Na tigela da batedeira, misture o fermento e a água até dissolver. Aguarde 5 minutos, até que comece a espumar. Usando o batedor em formato de pá, em velocidade média-baixa, junte a farinha de centeio, 1 1/2 xícara da farinha de trigo, o sal e o açúcar, e bata até que a massa comece a se formar. Vá colocando o restante da farinha aos poucos. Se a massa ficar muito seca, coloque mais um pouco de água morna, 1 colher de sopa por vez. Mude para o batedor de gancho, e bata em velocidade média por 4-5 minutos, até que a massa fique macia, elástica, e ligeiramente úmida. Reduza a velocidade e acrescente as pecãs e as cranberries. A massa vai ficar bem firme. Transfira para uma vasilha untada, empurrando para dentro quaisquer nozes ou frutas que caírem. Cubra com plástico filme também untado e deixe fermentar por cerca de 1 hora ou até dobrar de tamanho.

Em uma vasilha pequena, bata o ovo com uma colher de sopa de água. Vire a massa de pão em uma superfície levemente enfarinhada. Sove algumas vezes e divida a massa em 2 partes. Abra cada metade até formar um retângulo com cerca de 17 x 12 cm, com o lado mais curto de frente para você. Começando do alto, dobre uma "aba" com cerca de 2,5 cm para dentro, e pressione com os dedos, e daí vá dobrando o pão para dentro, enrolando e pressionando a cada volta, para formar um filão. Enrole para frente e para trás, para que fique bem firme. Se a ponta não grudar, pincele um pouco do ovo batido para selar (no meu caso, não foi necessário). Acerte as pontas, empurrando ligeiramente para baixo. Coloque em uma assadeira, com a emenda para baixo. Cubra com um plástico, e deixe fermentar por mais 45 minutos, ou até que a massa cresça e deixe uma marca, ao ser pressionada levemente com o dedo. 

Pincele os pães generosamente com o ovo e polvilhe um pouco de sal. Asse, girando a assadeira na metade do tempo, até que a crosta fique com uma cor dourada escura, cerca de 35-40 minutos. O ponto correto é quando, ao bater levemente com os nós dos dedos na base do pão, saia um som oco. Ou ainda, se você tiver um termômetro culinário, espete no centro do pão, que deve marcar 88°. Transfira para uma gradinha e deixe esfriar completamente antes de fatiar. O pão se mantém bem por cerca de 3 dias em temperatura ambiente, embalado em plástico.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Quibe de baroa com quinoa


Olás! Hoje trouxe uma receitinha matadora, que foi para a marmita da semana passada. Como já comentei aqui várias vezes, durante a semana eu e o meu namorado nos revezamos no preparo das marmitas. Ambos preferimos comida caseira, e além disso o preço da comida a quilo disparou nos últimos anos (e infelizmente a alta de preços não veio seguida de maior qualidade e cuidado com o que é servido). Como no nosso trabalho tem um espaço equipado com geladeira, microondas e mesas, compensa muito mais levar comida de casa.

Infelizmente, trabalhando o dia todo e com compromissos após o trabalho, não me sobra muito tempo, e por isso prefiro preparar pratos únicos, de preferência feitos no forno, e que podem ser servidos apenas com o acompanhamento de uma saladinha verde. Fazer arroz, feijão, carne, legumes, etc, além de ser entediante sujar muitas vasilhas, dá um trabalho danado! Como disse, prefiro fazer uma coisa só, enfiar no forno, e ter tempo para cuidar das outras coisas de casa que também precisam de atenção. Mas que fique claro, a praticidade também não pode descambar para comidas ruins ou pouco saudáveis...

Esse quibe é um ótimo exemplo! Tem um montão de coisas boas, é super saudável, e ficou MARA! Servi acompanhado da tradicional saladinha verde, e também um pouco de coalhada seca, que eu amo. Precisei adaptar um bocado a receita, e também chutar algumas quantidades, pois haviam algumas medidas estranhas, tais como xícara de café, colher de café e sobremesa. A conversão das colheres, eu achei aqui. A xícara eu chutei, e usei 1/4 de xícara de chá no lugar (a menor que eu tenho). Me lembrou muito o livro da Dona Benta, que também tem essas invenções: tem um bolo lá que leva um prato de farinha. Oi? :-S

Quibe de baroa e quinoa
receita adaptada daqui

-      700 g de batata baroa (também conhecida como mandioquinha, ou cenoura amarela)
-      1 xícara de trigo para quibe 
-      1 cebola roxa média picadinha
-      2 colheres de sopa de azedinha picada
-      2 colheres de chá de sal
-      2 colheres de chá de zaatar
-      1/2 colher de chá de pimenta síria
-      1 pitada de orégano
-      1 pitada de pimenta caiena ou calabresa (opcional)
-      1/4 xícara de quinoa 
-      2 colheres de sopa de salsinha picada
-      2 colheres de sopa de cebolinha picada
-      1/4 xícara de azeite
-      1/4 xícara de castanha de caju picada grosseiramente
-      1/2 talo de alho poró grande (ou 1 pequeno) em rodelas finas
Recheio:
-      1/2 talo de alho poró grande (ou 1 pequeno) em rodelas finas e levemente refogado
-      100 g de mussarela ralada
-      100 g de chancliche esfarelado
-      100 g de tomatinho siriguela cortado em metades
-      pimenta-do-reino moída na hora e sal, se necessário

Cozinhe a baroa até ficar macia. Escorra e amasse bem, para virar um purê. Enquanto isso, hidrate o quibe em pouca água, para que fique al dente. Escorra e reserve. Cozinhe a quinoa em água, escorra com uma  peneira e passe pela água fria, para interromper o cozimento. Reserve.

Preaqueça o forno a 180°. Misture todos os ingredientes do quibe com metade do azeite, e sove até que a massa fique bem consistente. Prove e acerte o tempero. Divida a massa em duas partes. Misture os ingredientes do recheio e acerte o tempero. 

Montagem: coloque a primeira metade da massa em uma assadeira untada com azeite. Alise bem com uma colher e coloque o recheio. Cubra com o restante da massa, alise com uma colher e depois faça ranhuras com um garfo (formando um padrão xadrez). Espalhe o restante do azeite e leve para assar, até dourar levemente. Sirva acompanhado de coalhada seca e salada verde.

sábado, 27 de setembro de 2014

Cupcakes de chocolate



Vira e mexe eu levo algum bolinho para o trabalho, mas no meu aniversário eu gosto de caprichar um pouco mais. Eu já levei o bolo invertido de abacaxi e manga, acompanhado dos biscoitos de coco e amêndoas, e também o bolo de morangos com cobertura streusel com os cookies de triplo chocolate.  

Esse ano, como não daria tempo de levar bolo e biscoito (e também porque descobri que ganharia uma festinha), resolvi fazer só o bolo, mas com um capricho extra. Escolhi essa receita de cupcakes de chocolate, do The Ghirardelli Chocolate Cookbook, e foi um sucesso absoluto, com um bônus extra: os cupcakes são facílimos de fazer! A cobertura também é muito fácil. Porém, como não tenho muito a manha de usar o saco de confeitar, cobri com essas raspinhas de chocolate branco e preto (já vêm assim, misturadas) da Callebaut. Para quem mora em BH, tem para vender na Maria Chocolate.  

Cupcakes de chocolate
12 cupcakes médios

-      1 xícara + 2 colheres de sopa de farinha de trigo
-      1/4 xícara de cacau em pó
-      1 1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
-      1/4 colher de chá de sal
-      1 ovo grande
-      1/2 xícara de açúcar mascavo
-      1/2 xícara de açúcar cristal
-      1/2 xícara + 2 colheres de sopa de leite
-      1/3 xícara de café forte ou expresso
-      1/2 xícara (100 g) de manteiga sem sal derretida (deixe esfriar um pouco antes de usar)

Cobertura:
-      170 g de chocolate meio amargo
-      3/4 xícara de creme de leite fresco
-      3 colheres de sopa de manteiga
-      raspas de chocolate ou confeitos diversos para decorar



Preaqueça o forno a 180° e forre as forminhas de muffins com forminhas de papel (não recomendo untar, pois os bolinhos saem do forno ainda bem molinhos e frágeis). 

Peneire a farinha, cacau, bicarbonato e sal em uma vasilha. Em outra vasilha, misture o ovo e os açúcares. Acrescente o leite, o café e a manteiga derretida. Mexa bem e misture aos ingredientes secos. Mexa apenas até que fique homogêno.

Distribua nas forminhas, enchendo até 3/4 da sua capacidade. Leve ao forno e asse por cerca de 15 minutos (faça o teste do palito). Retire do forno, deixe esfriar nas forminhas por 10 minutos e depois desenforme-os com cuidado, passando para uma gradinha até que resfriem completamente.

Enquanto isso prepare a cobertura: Coloque o creme de leite e o chocolate em uma vasilha e leve ao banho-maria (sem deixar a água encostar no fundo), até que o chocolate derreta. Retire do fogo, deixe amornar um pouco e acrescente a manteiga, mexendo bem para incorporar. Deixe a ganache descansar até firmar o suficiente para ser espalhada sobre os bolinhos (cerca de 1 hora em temperatura ambiente, ou 20-30 minutos na geladeira. Cuidado! Não pode ficar firme demais, ou vai dificultar muito a tarefa.

Espalhe a cobertura sobre os bolinhos (eu usei um saco de confeitar, mas acho que pode ser com uma faca ou colher (só não vai ficar tão bem acabado), e depois decore com as raspas de chocolate, ou com confeitos à sua escolha.

sábado, 13 de setembro de 2014

Frango indiano ao curry com maçã verde e passas


Olá! Essa receita muito querida é uma das minhas receitas mais antigas, faço há tanto tempo que o papel onde ela está anotada já está todo manchado, amassado e rasgado...rs. Não lembro mais de onde eu anotei, se de revista, site, jornal,algum conhecido... Só sei que é um prato MUITO saboroso, uma delícia mesmo!

Frango indiano ao curry com maçãs verdes e passas

-      8 sobrecoxas de frango desossadas e sem pele, picadas em pedaços grandes (pode substituir por peito de frango)
-      2 dentes de alho em lâminas
-      1 cebola grande picada
-      1 pimentão vermelho em cubos
-      3 maçãs verdes descascadas e cortadas em cubos
-      1 colher de sopa rasa de açúcar
-      100 g de passas escuras
-      500 ml de caldo de galinha (eu uso caseiro)
-      500 ml de creme de leite fresco
-      1 colher de sopa cheia de curry (ou a gosto, caso o seu seja muito picante)
-      1/2 colher de chá de canela em pó
-      suco de 1 limão
-      100 ml de azeite
-      sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto
-      opcional: uma pitada de alecrim e 1/2 pimenta dedo-de-moça picada sem sementes

Tempere o frango com a canela, sal, pimenta-do-reino, suco de limão, alho, um pouco do curry e um fio do azeite. Reserve.

Em uma panela, doure a cebola no resto do azeite com o açúcar. Acrescente o pimentão. Abaixe o fogo e deixe dourar bem. Enquanto isso, em uma frigideira antiaderente, doure os pedaços de frango (se necessário coloque um fio de azeite). Adicione as maçãs e salteie. Desligue o fogo, e transfira tudo para a panela com a cebola. Coloque a pitada de alecrim, a pimenta dedo-de-moça e as passas, e misture bem. Junte o caldo de galinha e deixe ferver. Acrescente o creme de leite, o restante do curry, e cozinhe em fogo baixo por aproximadamente 30 minutos. Caso queira, pode polvilhar folhinhas de coentro para finalizar. Sirva com arroz branco ou basmati. 

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Suco de mexerica, limão siciliano, gengibre, hortelã e manjericão


De manhã cedo não dá para perder tempo, por isso o suco tem de ser no estilo pá pum! Bata no liquidificador 3 mexericas (tangerinas) pequenas descascadas (ou 2 médias), suco de 1 limão siciliano, uma fatia de gengibre com 2-3 cm, 2 galhinhos de hortelã e 2 de manjericão (bati com galho e tudo, não perdi meu tempo arrancando as folhas). Acrescentei 1/2 xícara de água só para ajudar a bater, e algumas pedrinhas de gelo. Se a sua mexerica não estiver muito doce (a minha estava), pode adoçar com mel, açúcar demerara ou stevia. Coe e sirva. Bom demais!

sábado, 30 de agosto de 2014

Brioche de mandioquinha


Continuando com a minha tentativa de passar a fazer meus próprios pães (estou amando, apesar de alguns percalços), resolvi testar essa receita de brioche de mandioquinha (também conhecida como batata baroa ou cenoura amarela). A receita é da Palmirinha Onofre, e eu encontrei aqui. O pão (que eu quase deixei queimar) ficou bem gostoso, a massa é uma delícia de manipular, e depois de assada ficou bem macia e saborosa. Na receita original ela fez pequenos pãezinhos, e recheou uns com queijo e outros com goiabada. Eu preferi cortar a receita ao meio e fazer um "pãozão" simples, sem recheio, para comer com manteiga mesmo.

Brioche de mandioquinha
(rendimento: 2 pães)

-      350 g de mandioquinha cozida
-      4 ovos + 1 ovo para pincelar
-      1 xícara de óleo
-      1 xícara de açúcar
-      3 tabletes de fermento para pão
-      1 kg de farinha de trigo, aproximadamente

No liquidificador, bata os ovos, o óleo, o açúcar e a mandioquinha. Acrescente os tabletes de fermento (eu esfarelei com a mão para ajudar) e bata muito rapidamente. Passe para uma vasilha e vá juntando a farinha aos poucos. Começe mexendo com uma colher e depois vá sovando (eu usei uma batedeira, com a pá de gancho. Não coloque toda a farinha de uma vez! Pode ser que precise um pouco mais ou menos (no meu caso, foi menos do que o indicado). Sove até que a massa fique bem lisa e elástica, sem grudar nas mãos. Deixe descansar por 10 minutos (eu deixei meia hora), depois modele os pães. O meu pão eu fiz assim: dividi a massa em 4 partes, fiz 4 ovais e coloquei em uma forma untada e polvilhada e fiz um corte de fora a fora, no sentido do comprimento. Cubra e deixe fermentar até dobrar de volume (cerca de 1 hora). Enquanto isso, preaqueça o forno a 150°. Pincele o ovo batido sobre o pão e leve para assar. Após cerca de 15 minutos, aumente a temperatura para 180° e asse mais 10 minutos, ou até dourar. 


sábado, 23 de agosto de 2014

Salada de broto de feijão, trigo, abacaxi, ricota e cranberries


Saladinha delícia, que pode fazer as vezes de prato principal ou acompanhamento. A receita veio do maravilhoso livro Cozinhando para Amigos, de Heloísa Bacellar. Adoro esse livro, que traz várias receitas, todas agrupadas em menus específicos, para festas com muita gente ou pequenas reuniões, para dias frios ou quentes, para almoços, jantares, ocasiões especiais e até para um dia de chuva! Super recomendo... Originalmente o prato leva passas, mas como não tinha em casa troquei por cranberries, e adorei, tanto o sabor quanto a cor vermelha, que deu vida ao prato.

Salada de broto de feijão, trigo, abacaxi, ricota e cranberries

-      500 g de trigo para quibe
-      900 g de ricota
-      Suco de 1 limão
-      1 xícara de folhas de hortelã
-      1/4 xícara de folhas de salsinha picadinhas
-      1/2 xícara de azeite de oliva, aproximadamente
-      2 xícaras de uva passa escura (troquei por cranberries)
-      1 abacaxi grande, sem casca, em cubinhos miúdos
-      500 g de broto de feijão
-      sal e pimenta-do-reino

Coloque o trigo em uma tigela grande, cubra com água morna e deixe descansar por 30 minutos. Escorra, esprema bem com as mãos (ou use uma peneira, ou um pano), e volte para a tigela. Junte a ricota quebrada em pedacinhos (a minha estava muito firme, por isso amassei), o suco de limão, metade da hortelã, a salsinha, azeite o bastante para umedecer, e as cranberries. Mexa bem, tempere com sal e pimenta moída na hora, e leve à geladeira por até 12 horas. Duas horas antes de servir, junte o abacaxi e o broto de feijão, ajuste o tempero, transfira para uma saladeira e espalhe por cima o restante da hortelã.

Eu fiz 1/3 da receita acima, e servi como prato principal. Rendeu cerca de 3-4 porções.

sábado, 9 de agosto de 2014

Lasanha de abóbora

Essa receita cai muito bem nesse frio que tem feito! Quentinha, cremosa, comfort food total! Tirei do ótimo livro Meatless, da Titia Martha. As receitas dela não falham nunca! Entretanto, por uma questão de gosto, da próxima eu trocaria parte do queijo parmesão por minas ou mozzarella (faço tudo para não escrever muçarela, com essa grafia uó...) e provavelmente aumentaria um pouco a quantidade. Afinal, eu sou mineira, uai! ;-)


Lasanha de abóbora
serve 8 pessoas

-      1 abóbora com cerca de 1,8 kg
-      3 colheres de sopa de azeite extra-virgem
-      2 1/4 xícara de queijo parmesão ralado (ver observação acima)
-      1/4 xícara de folhas de sálvia frescas (troquei por folhas secas, e reduzi para metade)
-      1/2 colher de chá de noz moscada ralada
-      280 gr de folhas de lasanha (daquelas que não precisam ferver antes)
-      6 xícaras de leite (usei o normal, mas pode até ser o desnatado)
-      5 colheres de sopa de manteiga
-      1/4 xícara mais 2 colheres de sopa de farinha de trigo
-      sal e pimenta-do-reino moída na hora

Preaqueça o forno a 200°. Parta a abóbora ao meio e retire as sementes. Pincele azeite e tempere com o sal e a pimenta. Coloque em uma assadeira  com a parte cortada virada para baixo e asse por cerca de 1 hora, ou até ficar macia. Deixe esfriar, retire a polpa e amasse/processe até virar um purê.

Enquanto a abóbora assa, prepare o molho béchamel: aqueça o leite em uma leiteira. Em uma panela, derreta a manteiga e misture a farinha. Abaixe o fogo e deixe cozinhar um pouco (cerca de 3 minutos), porém sem deixar a farinha escurecer. Junte o leite aos poucos, e vá misturando com um fouet, para que não empelote. Tempere com o sal, a pimenta e metade da noz moscada. Deixe cozinhar em fogo baixo por 5-10 minutos, de modo que não fique com gosto de farinha, mexendo sempre para não queimar nem grudar no fundo da panela. Desligue o fogo e deixe esfriar um pouco antes de usar.

Em uma vasilha misture o purê de abóbora, 1 xícara de queijo, a sálvia, a outra metade da noz moscada e cerca de 1 colher de chá de sal. Não coloque o sal todo de uma vez, pois essa quantidade pode variar bastante, dependendo do tanto de sal polvilhado na abóbora, e também do queijo utilizado.

Abaixe a temperatura do forno para 190°. Espalhe uma fina camada do molho béchamel (cerda de 1/2 xícara) nos fundos e nas laterais de uma assadeira com 23 x 33 cm. Cubra com folhas de massa. Espalhe cerca de 3/4 xícara do recheio de abóbora e cubra com mais folhas de massa. Depois mais 3/4 xícara de béchamel e 2 colheres de sopa de queijo. Repita as camadas (massa, abóbora, massa, béchamel e queijo) mais uma vez. Coloque uma última camada de massa e por cima o resto do molho branco. Reserve o queijo restante. 

Cubra com uma folha de papel alumínio e leve ao forno por cerca de 20 minutos. Retire o papel, polvilhe o queijo e volte ao forno para assar, até que esteja borbulhante e gratinado na superfície (cerca de 35 minutos). Deixe esfriar ligeiramente antes de servir.

domingo, 27 de julho de 2014

Bolo integral com peras, ameixas e avelãs



Esse é um dos bolos mais gostosos que eu já fiz! Adoro esse tipo de combinação: farinha integral, frutas e nuts. Acho que deixa o bolo mega saboroso, molhadinho, ideal para todas as horas (pode trocar o almoço por bolo, produção?)! Outro bolo parecido que já deu pinta aqui no blog, um dos meus all time favorite, é o bolo de maçã com passas e nozes (na receita original consta farinha de trigo comum, mas ultimamente eu tenho feito com 100% integral). Experimenta, vai?

Bolo integral com peras, ameixas e avelãs
(receita adaptada da Dorie Greenspan, que eu achei aqui)

-      1 1/4 xícara de farinha de trigo integral
-      1 xícara de farinha de trigo comum (já fiz também usando apenas farinha integral e ficou ótimo, mas um tantinho mais pesado...)
-      1/2 xícara de avelãs moídas (usei o processador)
-      1 colher de chá de fermento
-      1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
-      1/4 colher de chá de sal
-      200 gr de manteiga sem sal em temperatura ambiente
-      2 xícaras de açúcar mascavo claro (não apertei na xícara na hora de medir e achei doce na medida)
-      3 ovos, orgânicos ou caipiras, em temperatura ambiente
-      1 1/2 colher de chá de extrato de baunilha
-      1/4 colher de chá de essência de amêndoas
-      1 xícara de buttermilk* em temperatura ambiente
-      2 peras médias descascadas e picadas (sem os miolos) em pedaços de 0,5 cm
-      1/2 xícara de ameixas secas macias, sem os caroços, picadas em pedaços de 0,5 cm




Preaqueça o forno a 180°. Unte e enfarinhe muito bem (o bolo é chatinho pra desenformar) uma forma de furo no meio com capacidade para 12 xícaras. Misture em uma tigela grande as farinhas, avelãs, fermento, bicarbonato e sal. Reserve.

Em outra vasilha, bata a manteiga e o açúcar até a mistura ficar clara e fofa. Pode ser na mão (com o fouet), ou  na batedeira. Junte os ovos, um a um, batendo bem entre cada adição e raspando as laterais da vasilha sempre que necessário. Junte a essência de baunilha e amêndoas, e acrescente a mistura de farinha em 3 partes, alternadamente com o buttermilk em duas partes, começando e terminando com a farinha, e mexendo somente até incorporar (não bata demais!). Junte as peras e ameixas, e misture cuidadosamente com uma espátula. 

Verta a mistura na forma, alise a superfície, e leve ao forno para assar, por cerca de 60 minutos ou até que esteja firme e dourado (faça o teste do palito). Deixe esfriar antes de desenformar. Pode ser congelado por até 2 meses.

* Butermilk caseiro:  coloque 1 colher de sopa de suco de limão ou vinagre em uma xícara e complete com leite. Mexa até engrossar e talhar, e deixe descansar por pelo menos 15 minutos antes de usar.

Para começar bem a semana...

Foto tirada no caminho para Resende Costa/MG

Bom domingo!

domingo, 20 de julho de 2014

Lassi de cúrcuma com banana e gengibre



Eu tinha na geladeira um pedaço de raiz fresca de cúrcuma (também conhecida como açafrão-da-terra ou turmérico), cuja maior parte já havia utilizado em uma sopa, e queria usar o resto em um preparo bem diferente. Procura daqui, procura dali, encontrei uma receita de lassi no blog Green Kitchen Stories, e foi amor à primeira vista... Experimentem, vocês vão adorar!

Lassi de cúrcuma com banana e gengibre
receita um nadinha adaptada daqui
rende um copão

-      1 xícara de iogurte natural (usei caseiro)
-      2 bananas pequenas
-      1 1/2 colher de chá de cúrcuma picada (o blog diz que pode ser em pó também, mas não testei)
-      1 colher de chá de gengibre ralado
-      1/2 colher de chá de extrato de baunilha
-      1 espremida de limão
-      mel à gosto
-      2 - 3 cubos de limão

Bater tudo no liquidificador, adoçar à gosto e servir (nem precisa coar).


sábado, 12 de julho de 2014

Bruschetta de burrata


Eu não teria coragem de chamar isso de receita, é mais uma dica de petisco. Burrata é um queijo típico italiano, mais precisamente da região de Puglia . Pela sua consistência cremosa, é quase um cruzamento de mussarela de búfala com manteiga (burro significa manteiga em italiano). É um queijo que deve ser consumido sempre frio (fonte: clique aqui).

Eu vivo falando aqui no blog que devemos prestar muita atenção à qualidade dos ingredientes utilizados. No caso de preparos deste tipo, que levam pouquíssimos ingredientes, esse cuidado deve ser ainda maior. Escolha o melhor tomate que puder comprar, a rúcula mais fresca (se puder, compre produtos orgânicos), pimenta-do-reino moída na hora (sempre), e um excelente azeite extravirgem.

Eu gosto de servir no esquema faça-você-mesmo, mas você pode deixar as bruschettas montadas, se preferir. Comece com tomates picados, sem pele e sem sementes. Temperei com um fio de azeite extravirgem, sal rosa do himalaia, pimenta-do-reino moída na hora, manjericão e alecrim, e arrumo em cima da burrata. Junto folhinhas de rúcula e torradinhas feitas em casa, no forno ou na frigideira antiaderente, com fatias de pão italiano, alho (corto o dente ao meio e esfrego levemente pelas fatias) e azeite. Só. DIVINO!


quarta-feira, 2 de julho de 2014

Sopa cremosa de cogumelos



Essa sopa /creme é perfeita para as noites de inverno: fica pronta em pouquíssimo tempo, é deliciosa, aquece o corpo e alma! Seu preparo é muito simples também, anota aí:

Sopa cremosa de cogumelos
(3-4 porções)

-      400g de cogumelos frescos fatiados (usei portobelo e shimeji)
-      1 cebola roxa pequena picadinha
-      1 dente de alho picadinho
-      2 xícaras de caldo de frango (usei caseiro)
-      3/4 xícara de creme de leite fresco
-      1 dose de vinho branco
-      azeite e manteiga
-      tomilho seco
-      sal e pimenta-do-reino moída na hora
-      salsinha, cebolinha e torradas para acompanhar (opcional)

Coloque 1 colher de manteiga e 1 fio de azeite em uma panela média. Junte a cebola e refogue até ficar translúcida. Junte o alho e refogue por mais 1 minuto. Acrescente os cogumelos, refogue até começar a amaciar, e reserve uma pequena parte. Junte o vinho, uma pitada de tomilho, deixe ferver para evaporar o álcool e acrescente o caldo. Deixe ferver por alguns minutos (o cogumelo cozinha super rápido) e depois bata no liquidificador, ou direto na panela com o mixer. Volte com os cogumelos reservados, acrescente o creme de leite, acerte o tempero com o sal e a pimenta (se o seu caldo já for salgado talvez não seja necessário) e deixe ferver mais um pouco, para reaquecer. Sirva com um punhado de salsinha e cebolinha, acompanhado de torradinhas.

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Brownies de cacau


Essa receita veio para contrariar aqueles que acreditam que o chocolate em barra é obrigatório no preparo de um bom brownie. E como contraria! O brownie fica uma delícia, bem "chocolatudo"! Entretanto, é daqueles que um pedaço pequeno já satisfaz (o que, pensando bem, é uma vantagem... ). Essa receita faz parte do livro Chewy Gooey Crispy Crunchy Melt-in-Your-Mouth Cookies, da Alice Medrich, que eu comprei recentemente e adorei! Já tenho várias na fila para testar... Esta fila de receitas, diga-se de passagem, que está cada vez maior... Vou precisar de 3 vidas para preparar tudo que gostaria...rs

Obs.: no preparo deste brownie, eu usei um chocolate alcalinizado (uso o cacau em pó Extra Brute, da Callebaut), mas a autora diz que pode usar o comum, ok? Questão de gosto...

Brownies de Cacau
(rendimento: cerca de 16 brownies com 5x5 cm)

-      11 colheres de sopa de manteiga sem sal
-      1 1/4 xícara de açúcar
-      1 xícara mal cheia de cacau em pó (veja a observação acima)
-      1/4 colher de chá de sal
-      1 colher de chá de extrato de baunilha
-      2 ovos grandes, frios
-      1/3 xícara mais 1 colher de sopa de farinha de trigo

Forre uma forma de 20x20 cm com papel alumínio, deixando o papel mais alto nas laterais, para formar uma espécie de alça, que vai facilitar na hora de desenformar. Unte levemente com manteiga e reserve. Preaqueça o forno a 160°. Posicione a grade no terço inferior do forno.

Derreta a manteiga em banho-maria (não deixe a água quente demais). Junte o açúcar, o cacau e o sal. Mexa até que os ingredientes estejam bem incorporados, e a mistura fique quente. Remova a vasilha do banho-maria e deixe de lado por um tempinho, até que fique apenas morna. Junte a baunilha e depois os ovos, um a um, mexendo bastante com a espátula após cada adição. Quando a mistura parecer grossa, brilhante e bem misturada, junte toda a farinha de uma vez só e misture até que ela não fique mais visível. Daí, mexa vigorosamente umas 40 vezes com uma colher de pau ou espátula de silicone. Força na peruca!

Espalhe a massa na forma e asse por cerca de 20-25 minutos. O ponto certo é aqueleque, ao inserir um palito, ele saia ainda um pouco sujo, com alguns pedacinhos agarrados. Se sair limpo é porque assou demais e passou do ponto! Deixe esfriar sobre uma gradinha e depois desenforme, com o auxílio das "alças" de papel alumínio. Corte em 16 pedaços. Os brownies se conservam bem por 2 ou 3 dias, em um recipiente fechado, e também podem ser congelados. Eu gosto de congelá-los embalados individualmente, para comer aos poucos, quando as lombrigas exigirem...rs

sábado, 14 de junho de 2014

Pão de cenoura e chia


Continuando com a saga dos pães, aos poucos percebo que estou começando a pegar o jeito da coisa. Dá uma satisfação imensa quando o pão sai lindo e perfumado do forno! Essa receita é do Dan Lepard, mas eu encontrei aqui. O pão ficou uma delícia, muito macio e substancioso. Para guardar e repetir muitas e muitas vezes!

Pão de cenoura e chia
(rendimento: 1 pão de forma)

-      175 g de cenoura
-      250 ml de água morna
-      7 g de fermento biológico seco e instantâneo
-      25 ml de azeite
-      450 g de farinha de trigo
-      50 g de farinha integral
-      2 colheres de chá de sal
-      2 colheres de sopa de chia, mais um pouco para polvilhar

Lave bem as cenouras, seque-as e rale fino na tigela da batedeira. Junte a água morna e o fermento e deixe descansar por 5 minutos. Junte o azeite, a farinha integral, a maior parte da farinha comum (reserve cerca de 3/4 de xícara) o sal e as sementes. Bata com o batedor de gancho, na velocidade baixa (também pode ser sovado com as mãos, caso prefira), incorporando bem todos os ingredientes, até obter uma massa razoavelmente firme, mais ainda grudenta. Se estiver mole demais, acrescente o resto da farinha aos poucos. Pode ser que você use tudo, mas no meu caso sobrou um pouquinho. Deixe descansar por 10 minutos.

Passado o tempo, volte a sovar/bater por mais uns 2 minutos. A massa ainda estará grudenta. Passe para a bancada e polvilhe com pouca farinha, o suficiente apenas para ajudar a formar uma bola. Unte ligeiramente a tigela, e volte com a massa para lá. Cubra com um plástico e deixe fermentar por 1 hora. Unte uma forma de pão com manteiga ou azeite.

Na bancada ligeiramente enfarinhada, achate a massa até formar um retângulo. Dobre as abas para o meio e depois uma aba sobre a outra, aperando bem para selar. Coloque a massa na forma, com o vinco para baixo, cubra e deixe fermentar por mais 1 hora.

Preaqueça o forno a 200°. Quando a massa tiver crescido bem, pincele sua superfície com água, polvilhe mais um pouco da chia e faça um corte com 2 cm de profundidade, no sentido do comprimento, na superfície do pão. Leve para assar por cerca de 50 minutos, ou até que esteja dourado e emita um som oco ao bater no fundo com os nós dos dedos. Retire da forma e deixe esfriar completamente sobre uma gradinha antes de servir.

sábado, 24 de maio de 2014

Castanha de caju caramelizada com mel e mostarda + uma dica de salada

Essa é uma ótima opção de aperitivo! Entretanto, antes de tudo, devo dizer que o gosto da mostarda não fica muito evidente, ele mais dá um toque diferente na castanha, tipo um ingrediente secreto... Não sei, talvez seja o mel que eu usei, que tinha um gosto bem marcante, ou quem sabe a minha mostarda em pó, que era dessas genéricas de supermercado. Mas tenho certeza de uma coisa, a castanha ficou uma delícia assim mesmo! De quebra, uma dica (nem dá para chamar de receita) de salada para usar as castanhas, caso tenha sobrado alguma. =]

Castanha de caju caramelizada com mel e mostarda
(receita daqui)

-      1/4 xícara de mel (de preferência um mel mais suave)
-      1 colher de sopa de óleo vegetal
-      1 - 2 colheres de chá de mostarda em pó (coloquei 2, da próxima vou colocar mais um pouco)
-      2 xícaras de castanha de caju torrada e salgada
-      1/2 colher de chá de pimenta-do-reino moída na hora

Preaqueça o forno a 190°. Forre uma assadeira com papel manteiga ou um tapetinho de silicone (silpat). Em uma vasilha média, misture o mel, óleo e mostarda. Junte as castanhas e misture, para que todas fiquem bem cobertas (a mistura fica mesmo bem grudenta, mas vai com fé que dá). Espalhe as castanhas em camada única sobre a assadeira. Polvilhe com a pimenta e asse por 15 - 20 minutos, parando para mexes uma ou duas vezes durante o processo. Retire do forno e deixe esfriar. Depois de frio, guarde em um pote vedado, local fresco e seco, por até uma semana.


A salada eu fiz assim: misturei alface verde e roxa, rúcula e manjericão, e espalhei por cima as castanhas e cubinhos de manga. Você também pode fazer um molhinho de mostarda e mel para acompanhar. Bom apetite!

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Marmita: salmão al cartoccio e salada de cevada com frutas secas


Esse bem que poderia ser o prato de um jantar chique, ou de uma festa de reveillon, mas foi a minha marmita mesmo... Isso porque é mega fácil e rápido de preparar além de saudável e muito saboroso. Às vezes a gente se apega aos pratos de sempre e não percebe que pode variar, sem comprometer o tempo e o sabor. Preparar essas duas receitas leva MUITO menos tempo do que preparar o combo arroz, feijão, carne e legumes. Experimenta, vai!

Salada de cevada com frutas secas
receita um nadinha adaptada daqui
4 porções

-      1 xícara de cevada
-      2 xícaras de água
-      1 folha de louro
-      1 maçã verde
-      suco de 1 limão
-      2 colheres de sopa de manteiga
-      1/3 de xícara de amêndoas em lâminas
-      1 cebola picada
-      1/3 xícara de damasco picado
-      1/3 xícara de passas escuras
-      3 colheres de sopa de salsinha e cebolinha picadinhas
-      1 colher de sopa de tomilho fresco (só as folhas)
-      sal e pimenta-do-reino a gosto

Em uma tigela, coloque a cevada e cubra com o triplo de água. Esfregue com as mãos até a água ficar turva. Escorra e repita a operação 3 vezes. Escorra novamente e coloque a cevada em uma panela com a água, o louro e uma pitada de sal. Deixe ferver por cerca de 30 minutos com a tampa entreaberta, ou até que a cevada fique macia, mas sem desmanchar (enquanto isso, prepare o peixe). Retire o louro, escorra o restante da água e transfira para uma tigela. 

Lave e corte a maçã em cubinhos de 2 cm, e regue com o suco de limão para não escurecer. Reserve. Em uma frigideira, coloque 1 colher de sopa de manteiga, junte as amêndoas e deixe dourar, mexendo sempre (cerca de 3 minutos). Retire do fogo e junte à cevada. Coloque na frigideira a colher de manteiga restante e refogue a cebola por cerca de 5 minutos. Escorra o excesso de suco de limão para a cevada e acrescente a maçã à frigideira, refogando por mais 1 minuto. Desligue o fogo e misture à cevada. Junte o restante dos ingredientes, acrescente a pimenta-do-reino moída na hora e acerte o sal. A salada pode ser servida quente ou fria 

Salmão al cartoccio
4 porções

-      4 filés de salmão, sem pele
-      1 alho poró grande
-      1 dente de alho picadinho
-      1 cálice de vinho branco seco (ou suco de 1 limão, ou laranja)
-      azeite extravirgem
-      sal e pimenta-do-reino moída na hora

Preaqueça o forno a 180°. Corte 4 quadrados grandes de papel manteiga ou alumínio. Coloque uma gotinha de azeite e 1 filé de salmão em cada um, e tempere com sal, pimenta-do-reino e alho (é bem pouquinho mesmo, só para dar um toque de sabor). Parta o alho poró ao meio, lave bem, e corte a parte branca e verde clarinha em meia lua (use as partes mais escuras para fazer caldo de legumes caseiro). Divida sobre os filés de salmão, acrescente mais umas gotinhas de azeite e um pouco de vinho e feche os pacotinhos, deixando um espaço para o ar circular. Transfira os pacotes para uma assadeira e leve ao forno por cerca de 15-20 minutos (vai depender do tamanho e da grossura dos filés, mas é bem rápido). 

domingo, 11 de maio de 2014

Guacamole


Receita que tem cara de final de semana. Ótima sugestão para acompanhar aquela cervejinha gelada, para as festinhas informais, e também para servir para os amigos em dia de jogo de futebol na TV. Guacamole não tem muita receita (ou melhor, tem milhares de receitas), cada um vai fazendo e adaptando ao seu gosto pessoal. A minha é assim: para 1 abacate médio picadinho, coloco 2 tomates picados sem semente, 1/2 cebola roxa picada bem miudinho, de 1/2 a 1 pimenta dedo de moça (depende do tamanho da pimenta) picadinha (com ou sem sementes, depende da tolerância de cada um) ou algumas gotas de tabasco, na falta da pimenta, mais um punhado de coentro e salsinha bem picadinhos. Tempero com suco de limão (1 ou 2, dependendo do tanto de caldo), sal e uma pitada de pimenta-do-reino moída na hora. Misturo tudo e depois amasso parte do abacate, para virar uma pastinha, mas mantendo alguns pedaços para morder. Rende bastante! Se forem só duas ou três pessoas, faço metade da receita, ok?


Para começar bem a semana...


Taipus de Fora - Península de Maraú - Bahia

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Risoto trufado de aspargos com frango defumado

Esse risoto é tiro, porrada e bomba... Mais beijinho no ombro impossível! ;)

Risoto é tudo de bom e combina muito com o clima frio que tem feito! É o tipo de comida que parece chique e complicado de fazer, mas que na verdade é muito simples. Gostei muito desta combinação, mas não se prenda a ela, pois tenho certeza que sem o frango, ou sem o toque de trufas ficaria excelente também. Falando em trufas, eu usei esse creme de champignon trufado da marca Solarius, que é orgânico, muito saboroso e tem um precinho camarada, se comparado com outros similares. Não estou fazendo jabá, gosto mesmo dos produtos desta marca, ok?

Ainda em relação ao risoto, eu prefiro usar o arroz carnaroli, que demora um pouco mais para cozinhar, se comparado ao arbóreo, mas que possui maior cremosidade (sem perder a consistência). Também prefiro caldos caseiros, mas nada impede que se use o industrializado.

Risoto trufado de aspargos com frango defumado
rendimento: 2-3 porções bem generosas

-      1 xícara de arroz carnaroli
-      1 cálice de vinho branco seco (opcional)
-      1 litro de caldo de legumes ou frango caseiro
-      1 cebola pequena bem picadinha
-      1 maço de aspargos picados em rodelas (corte a parte inferior, que é mais dura, e coloque no caldo de legumes para dar gosto, e separe as pontas superiores)
-      1 1/2 xícara de frango defumado em cubos
-      2 colheres de sopa de creme de champignon trufado (opcional)
-      1 colher bem cheia de manteiga
-      1/2 xícara de queijo parmesão ralado
-      azeite, sal e pimenta-do-reino a gosto

Deixe o caldo fervendo em fogo baixo, enquanto prepara o risoto. Coloque um fio de azeite na panela, e refoque a cebola até ficar translúcida. Junte o arroz e mexa por mais 1 minuto. Acrescente o vinho e mexa, até começar a secar. Coloque 2 conchas de caldo e continue mexendo, acrescentando mais uma concha sempre que a anterior for absorvida. Quando o arroz começar a amaciar, junte o frango e as rodelinhas de aspargos, mas não coloque as pontas, que cozinham bem mais rápido. Assim que o arroz estiver quase cozido (mas ainda al dente), junte as pontas dos aspargos. Mexa um pouco, acrescente uma última concha de caldo, o creme de champignon, a manteiga e o queijo. Desligue o fogo, mexa bem,acerte o sal e a pimenta, tampe e deixe descansar por 3-5 minutos antes de servir.

Obs.: se o caldo acabar antes do risoto ficar no ponto, é só colocar um pouco de água quente.